segunda-feira, 25 de julho de 2016

O túmulo do pastor

Essa história é bem conhecida entre os habitantes mais antigos do Cabo de Santo Agostinho. Há alguns anos, houve um pastor evangélico na cidade que estava mais para representante do "você sabe quem" do que de Deus. Tal pastor tirava vantagem de sua posição de sacerdote para extorquir dinheiro dos fiéis, possuir suas seguidoras e outras tantas atrocidades chocantes para, um assim dizer, representante do divino. O homem aprontou tanto na terra, que mesmo depois de morto continuou aterrorizando os vivos. Seu túmulo, situado no cemitério do Cabo, segundo contam moradores, já virou até ponto turístico, pois se trata do único túmulo daquele cemitério que é completamente amarrado com correntes muito grossas e cadeados fortes. Além disso, é necessário fazer constantes reparos no túmulo, pois ele frequentemente apresenta rachaduras profundas, como se algo realmente desejasse sair dali de dentro. Os mais antigos contam uma lenda sobre um monstro que sairá daquele túmulo, durante os dias do juízo final, para levar consigo todos aqueles que cometeram inúmeros pecados e nunca se arrependeram. Há vizinhos que juram, de pés juntos, que o túmulo existe mesmo no cemitério principal do Cabo de Santo Agostinho, e que já o viram pessoalmente, todo rachado e amarrado com correntes. As pessoas sempre se perguntam: “Por que um túmulo estaria rachado e amarrado com correntes, a menos que quisessem evitar a saída de alguma coisa dali de dentro?” Talvez a resposta só venha mesmo a tona no dia do derradeiro Juízo!